Gol melhora termos de oferta de troca de bônus

segunda-feira, 20 de junho de 2016 09:39 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A companhia aérea Gol melhorou os termos de troca de títulos de dívida da empresa por novos papéis e prorrogou a oferta para 1o de julho, depois que as condições iniciais não atraíram volume relevante de credores para a operação.

A empresa informou nesta segunda-feira que os novos termos representam aumento ante a oferta inicial de até 84 por cento para os detentores de bônus atuais com vencimentos em 2020, 2022 e 2023 e de até 79 por cento para os detentores de notas perpétuas da companhia.

Entre as melhorias estão aumento de juros dos novos papéis e prêmio aos detentores de alguns dos títulos dependendo da performance futura da Gol e se houver mudança no controle da empresa.

A Gol chegou a adiar várias vezes o prazo de adesão dos credores para a oferta original, divulgada em 3 de maio. [nL2N180264] Mas até a sexta-feira passada, detentores de apenas 135,5 milhões de dólares de títulos, do objetivo da permuta de 780 milhões, mostraram interesse na operação.

Segundo a empresa, como parte das novas condições para a oferta, foi removida a condição mínima de participação dos credores na troca de bônus.

Além disso, a companhia afirmou nesta segunda-feira que vai pagar pela troca de títulos atuais que vencem em 2017 até 72,5 por cento do valor nominal, com 21 por cento do valor total a ser pago à vista em dinheiro e o restante em novos títulos com vencimento em 2018.

Pelos bônus vigentes com vencimentos em 2020, 2022 e 2023 a empresa afirmou que se propõe a pagar até 55 por cento do valor nominal, com até 7 por cento do valor total pago à vista e o restante em novos papéis que com prazo em 2021. No caso dos títulos perpétuos, a proposta agora é de pagamento de até 45 por cento do valor nominal que será quitado com novos títulos com vencimento em 2028.

Os juros propostos para os novos papéis foram ampliados de 8,5 para 9,5 por cento. A empresa também está oferecendo pagar um adicional de 13,5 por cento do valor nominal dos novos títulos 2021 e 2028 se até ou depois do fim de 2017 o lucro antes de juros e impostos (Ebit) da empresa superar os 800 milhões de reais considerando os quatro trimestres anteriores.

Há ainda uma condição que prevê pagamento de prêmio de 50 por cento aos detentores de novos títulos 2021 e 2028 se houver mudança no controle da Gol antes de 2018.

(Por Alberto Alerigi Jr.)