Dólar cai pelo 2º dia e vai abaixo de R$3,40 com otimismo sobre referendo britânico

segunda-feira, 20 de junho de 2016 17:23 BRT
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em queda pela segunda sessão consecutiva e voltou abaixo de 3,40 reais nesta segunda-feira, reagindo a menores preocupações com a possibilidade de a Grã-Bretanha deixar a União Europeia (UE) após pesquisas mostrarem maior apoio à permanência antes do referendo desta semana.

O dólar recuou 0,61 por cento, a 3,3994 reais na venda. A última vez em que a moeda norte-americana terminou abaixo de 3,40 reais foi em 8 de junho, quando fechou no menor nível em quase um ano.

A percepção de que a campanha pela saída vem perdendo ímpeto já havia levado a moeda norte-americana a recuar 1,43 por cento na sessão anterior, acumulando baixa de 2,03 por cento em dois pregões. O dólar futuro recuava cerca de 0,5 no fim desta tarde.

"Houve uma virada positiva no sentimento sobre o referendo nos últimos dias e as últimas pesquisas parecem confirmar essa melhora", disse o operador da corretora B&T Marcos Trabbold.

Três pesquisas de opinião no sábado mostraram liderança da opção "ficar", tendência oposta à vista no início da semana passada. Operadores temem que eventual saída possa golpear a economia global e reduzir a disposição dos investidores de assumirem riscos, prejudicando mercados emergentes.

Com isso, o dólar voltou a recuar abaixo dos 3,40 reais, após furar essa barreira pela primeira vez em quase um ano no início deste mês diante de apostas de que o Banco Central estaria menos propenso a intervir no mercado sob a batuta de Ilan Goldfajn.

O BC não intervém no mercado desde o último pregão de maio, quando realizou o costumeiro leilão de linha para rolagem que pratica em fins de mês, e não oferta swaps reversos --que equivalem a compra futura de dólares-- desde 18 de maio.

A queda da moeda norte-americana abaixo de 3,40 reais voltou a suscitar ruídos no mercado, com alguns operadores evitando vender dólares apostando que o BC poderia voltar a atuar. Cotações baixas do dólar tendem a prejudicar as exportações, que vêm apresentando bom desempenho e ajudando a recuperação da economia.   Continuação...