Decisão do Reino Unido deixar UE amplia incerteza sobre economia global

sexta-feira, 24 de junho de 2016 11:12 BRT
 

Por Jeremy Gaunt e John Mair

LONDRES/SYDNEY (Reuters) - A primeira indicação de como a decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia (UE) vai afetar a economia global virá das pesquisas empresariais, com os dados mais objetivos em seguida --uma defasagem que aumenta a incerteza em relação ao crescimento.

Antes do referendo na quinta-feira, a maioria das instituições econômicas globais haviam alertado sobre danos colaterais no caso de o Reino Unido sair da UE, com o Fundo Monetário Internacional (FMI) listando a votação como um importante risco global.

Bancos centrais reconhecem os perigos e deixaram claro que vão acionar suas ferramentas para acalmar os mercados.

O FMI pediu uma transição suave e os líderes financeiros do G7 disseram em comunicado que estão monitorando os desdobramentos do mercado, reconhecendo que movimentos desordenados nas taxas de câmbio podem prejudicar a estabilidade econômica e financeira.

Os alertas sobre os riscos à economia global acompanham sinais de que o crescimento em todo o mundo pode estar desacelerando.

Nesta sexta-feira, após a votação, autoridades governamentais e economistas de bancos de investimentos estavam de sobreaviso.

"A economia global estava frágil antes e está mais hoje", escreveram economistas do Citi em relatório.

Mas enquanto mercados financeiros reagem instantaneamente a choques como esse, o impacto mais profundo sobre as economias leva mais tempo. As preocupações daqueles que contratam, comercializam e tomam decisões de investimento podem piorar e aumentar.   Continuação...