"Trindade de risco" exige ação política global urgente, diz BIS

domingo, 26 de junho de 2016 12:47 BRT
 

Por Marc Jones

LONDRES (Reuters) - A política econômica global precisa urgentemente ser reequilibrada, disse o Banco de Compensações Internacionais (BIS, na sigla em inglês) neste domingo, enquanto o mundo enfrenta uma "trindade de risco" de dívida elevada, baixo crescimento da produtividade e poder de fogo cada vez mais baixo nos grandes Bancos Centrais do mundo.

O BIS, órgão que abrange os principais bancos centrais, disse em seu relatório anual que a economia global estava altamente exposta mesmo antes do voto da Grã-Bretanha de quinta-feira, pela saída da União Europeia.

"Há desenvolvimentos preocupantes, uma espécie de "trindade de risco", difícil de assistir", disse o chefe do departamento monetário e econômico do BIS, Claudio Borio.

"O crescimento da produtividade que está anormalmente baixo, jogando uma sombra sobre melhoras futuras no padrão de vida; níveis globais de dívida que são historicamente altos, elevando os riscos à estabilidade financeira; e um espaço notavelmente estreito para manobras políticas."

Ele afirmou que a economia global não pode depender mais do modelo de crescimento estimulado pela dívida, que levou à atual conjuntura.

Apesar das taxas de juros abaixo de zero e dos trilhões de dólares em estímulos, os Bancos Centrais da Europa e do Japão estão tendo dificuldade para levantar a inflação e o crescimento.

Os mercados cresceram acostumados com este suporte, mas estão cada vez mais preocupados que o poder de fogo está na maior parte sendo gasto.

"Caso essa situação seja prolongada ao ponto de abalar a confiança pública na elaboração de políticas, as consequências para os mercados financeiros e para a economia podem ser sérias."