Líderes do "Brexit" declaram apoio a ministro das Finanças e presidente do banco central

segunda-feira, 27 de junho de 2016 10:14 BRT
 

Por William Schomberg e Ana Nicolaci da Costa

LONDRES (Reuters) - Os líderes da campanha pela saída do Reino Unido da União Europeia tentaram acalmar as preocupações sobre o futuro econômico incerto do país ao declararem apoio público ao presidente do banco central britânico, Mark Carney, e ao ministro das Finanças, George Osborne.

Durante a campanha para o referendo da semana passada, Carney e Osborne alertaram os líderes do campo a favor da saída que a decisão de deixar a UE afetaria a economia.

Carney foi alvo de um pedido de renúncia de um parlamentar do governista Partido Conservador durante a campanha, e na semana passada a campanha oficial pela saída divulgou um vídeo atacando-o por sua passagem prévia como funcionário do Goldman Sachs.

Mas Boris Johnson, apontado como o favorito para se tornar o próximo primeiro-ministro britânico após levar a campanha pela saída à vitória no referendo, usou seus primeiros comentários públicos desde a votação para fazer elogios ao canadense.

"Pessoas mais sensíveis podem ver que o presidente do Banco da Inglaterra, Mark Carney, tem feito um ótimo trabalho --e agora que o referendo acabou, ele poderá continuar seu trabalho sem estar na linha de fogo política", escreveu Johnson em coluna no jornal Daily Telegraph, que foi publicada inicialmente na noite de domingo.

O ministro da Justiça, Michael Gove, que liderou a campanha pela saída ao lado de Johnson, elogiou Osborne por dizer logo no início desta segunda que o Reino Unido poderá lidar com as incertezas provocadas pelo resultado do referendo.

"Eu ouvi o ministro e achei suas palavras incrivelmente tranquilizadoras", disse Gove a repórteres. "A declaração do ministro hoje forneceu a tranquilidade que o povo precisa."

 
Presidente do banco central britânico, Mark Carney.    02/06/2016      REUTERS/Joe Giddens/Pool