Premiê japonês diz a ministro para tomar medidas de câmbio necessárias após referendo britânico

segunda-feira, 27 de junho de 2016 09:55 BRT
 

Por Minami Funakoshi e Tetsushi Kajimoto

TÓQUIO (Reuters) - O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, instruiu nesta segunda-feira o ministro das Finanças, Taro Aso, a observar o mercado cambial "ainda mais de perto" e tomar medidas se necessário, na esteira da votação britânica para deixar a União Europeia (UE).

Abe fez as declarações em uma reunião emergencial com Aso e com o vice-presidente do banco central japonês, Hiroshi Nakaso, conforme alguns analistas especulam que o Banco do Japão pode afrouxar a política monetária se convocar uma reunião de política monetária não prevista antes da reunião marcada para 28 e 29 de julho.

Embora Abe tenha ordenado que o banco central assegure ampla liquidez nos mercados, seu governo está pronto para fornecer suporte fiscal à economia, com a possibilidade de expandir as medidas de estímulo planejadas para totalizar mais de 10 trilhões de ienes (98,03 bilhões de dólares), disseram fontes à Reuters.

"Riscos e incertezas continuam no mercado financeiro", disse Abe. "Precisamos continuar a trabalhar em direção à estabilidade de mercado."

Autoridades japonesas têm ameaçado intervir se considerarem as altas do iene excessivas, embora os agentes do mercado duvidem que Tóquio vá intervir, dada a grande oposição dos Estados Unidos.

"Fui instruído pelo primeiro-ministro a dar vários respostas agressivas para garantir a estabilidade nos mercados financeiro e cambial", disse Aso a repórteres após a reunião.