Secretário do Tesouro dos EUA não vê crise financeira com saída do Reino Unido da UE

segunda-feira, 27 de junho de 2016 11:46 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - O secretário do Tesouro norte-americano, Jack Lew, disse nesta segunda-feira que não vê sinais de uma crise financeira decorrente da decisão britânica da semana passada de deixar a União Europeia, embora o resultado apresente "obstáculos" adicionais para a economia dos Estados Unidos.

"Isso tem tido um impacto ordenado até agora", disse Lew em uma entrevistas ao canal CNBC. Ele afirmou que espera um período de transição, na medida que as partes trabalham sobre os desdobramentos do referendo de 23 de junho, no qual 52 por cento dos britânicos votaram por retirarem-se da União Europeia, contra 48 por cento que votaram por ficar.

"Os lados responsáveis vão trabalhar em relação a isso", disse Lew em uma entrevista à CNBC, dizendo que espera ver um período razoavelmente longo e que os governos têm que focar em promover o crescimento.

O resultado do referendo agitou os mercados globais na sexta-feira, provocando vendas generalizadas e a perda em valor do mercado global de ações de 2,08 trilhões de dólares, a maior perda diária no mercado de ações da história. Os índices norte-americanos caíram mais de 3 por cento e investidores buscaram ativos seguros como o títulos do Tesouro dos EUA, levando a uma baixa nos já fracos rendimentos dos bônus.

(Por David Lawder)