BM&FBovespa sugere mudanças em OPA e free float em novas regras para Novo Mercado

segunda-feira, 27 de junho de 2016 15:16 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A BM&FBovespa apresentou nesta segunda-feira sugestões de mudanças nas regras de listagem de empresas que fazem parte do Novo Mercado e Nível 2, os segmentos com regras mais rígidas de boa governança corporativa.

A proposta surgiu após um período de consulta pública que recebeu 143 sugestões, incluindo diretrizes sobre ingresso e saída do Novo Mercado e situações em que empresas ficam sujeitas a sanções, além de prazos de adaptação e tratamento excepcional.

Uma das mudanças propostas é de que o volume mínimo de ações em circulação (free float) possa ser reduzido dos atuais 25 para 20 por cento em certas circunstâncias.

O projeto também propõe novos critérios para definir quando um membro do conselho de administração pode ser considerado independente. Sobre a saída voluntária de uma companhia dos segmentos citados, o documento sugere realização de OPA, a preço justo, com pagamento à vista em dinheiro, desde que haja quórum de aceitação de 50 por cento dos acionistas

O documento também inclui novas regras para compra de participação relevante, fiscalização e controle, auditoria interna e área responsável por adequação a normas (compliance).

Concluída a consulta pública, o projeto agora vai para uma segunda fase, em que as propostas serão discutidas em audiência pública por companhias abertas, investidores, intermediários e agentes do mercado, até 9 de setembro.

Em seguida, a discussão entra na fase final, envolvendo exclusivamente as empresas listadas Novo Mercado e no Nível 2, no período de 7 de novembro e 6 de fevereiro de 2017. As companhias citadas decidirão sobre as mudanças propostas, que precisam de aval de dois terços para entrarem em vigor.

(Por Aluísio Alves)