Governo brasileiro não avalia no momento elevar Cide para gasolina

segunda-feira, 27 de junho de 2016 19:31 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O governo brasileiro não avalia no momento elevar a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) para gasolina, uma reivindicação do setor sucroalcooleiro para dar mais competitividade ao etanol, afirmou nesta segunda-feira o diretor do Departamento de Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia, Ricardo Dornelles.

"Não há discussão no momento dentro do ministério em relação a um possível aumento no imposto sobre a gasolina " disse Dornelles, nos bastidores de um evento sobre etanol em São Paulo.

"O setor sucroalcooleiro apresentou uma demanda para elevar o imposto em sua primeira reunião com o novo ministro, algumas semanas atrás, mas o próprio presidente disse que isso não é uma prioridade", disse.

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, assumiu o cargo logo após o presidente interino Michel Temer começar seu governo em 12 de maio, substituindo a presidente afastada Dilma Rousseff, que enfrenta um julgamento de impeachment por alegações de manipulação das contas públicas.

O setor sucroalcooleiro do país acredita que o governo deve usar o imposto para valorizar a contribuição ambiental do etanol. Um imposto maior sobre a gasolina estimularia o uso do biocombustível no Brasil, ajudando a reduzir as emissões de carbono.

O valor da Cide atualmente é de 0,10 real por litro de gasolina. O setor sucroalcooleiro gostaria que o imposto fosse elevado a 0,60 real por litro.

Dornelles observou que o Ministério de Minas e Energia não está lidando com os preços dos combustíveis, que agora são vistos como uma tarefa exclusiva da Petrobras.

(Por Marcelo Teixeira)

 
Trabalhador abastece carro com gasolina em posto de combustíveis no Rio de Janeiro
30/09/2015 REUTERS/Ricardo Moraes