Premiê da China não vai permitir grandes oscilações nos mercados depois de decisão britânica

terça-feira, 28 de junho de 2016 08:36 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - O premiê da China, Li Keqiang, disse nesta terça-feira que não vai permitir que o pânico que agitou as moedas e os mercados acionários globais após a decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia cause forte turbulência no mercado financeiro do país, uma indicação de que as autoridades vão intervir se necessário para evitar o caos no mercado.

"É difícil evitar a volatilidade no curto prazo no mercado de capital da China, mas não vamos permitir uma montanha-russa e mudanças drásticas no mercado de capitais", disse Li, falando no Fórum Econômico Mundial, na cidade de Tianjin.

A afirmação ocorre no momento em que diminui a turbulência após a decisão britânica, que varreu os mercados globais e levou a libra para a mínima em três décadas.

O mercado financeiro chinês sofreu fortes quedas em 2015 e no início de 2016, conforme reguladores se esforçavam para administrar os investimentos especulativos em meio a grandes preocupações sobre a economia do país. Alguma calmaria voltou às bolsas e aos mercados cambiais depois de pesadas intervenções das autoridades desde então.

Na segunda-feira, o iuan caiu para a sua mínima ante o dólar desde dezembro de 2010, mas se recuperou levemente nesta terça-feira e o mercado de ações tem registrado altas nesta semana.

(Por Elias Glenn)