BC vê mais inflação em 2016 e reafirma compromisso com meta de 4,5% em 2017

terça-feira, 28 de junho de 2016 08:53 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O Banco Central piorou seu cenário de inflação para 2016, diante de maior pressão de alimentos, mas melhorou sua perspectiva para 2017, segundo o Relatório Trimestral de Inflação divulgado nesta terça-feira, pelo qual reafirmou que não há condições de reduzir a taxa básica de juros ainda.

Pelo documento, o BC passou a ver que o IPCA subirá 6,9 por cento em 2016, acima da conta anterior de 6,6 por cento, mas que a alta perderá força e fechará 2017 em 4,7 por cento, 0,2 ponto percentual a menos do que a projeção anterior. O BC também apontou o IPCA em 4,2 por cento no segundo trimestre de 2018, tudo pelo cenário de referência.

O documento, o primeiro sob a gestão do atual presidente do BC, Ilan Goldfajn, reafirmou o compromisso do Comitê de Política Monetária (Copom) com a inflação no centro da meta em 2017 e que buscará deixá-la dentro da margem de tolerância neste ano.

(Por Marcela Ayres)