Acordo da Volkswagen nos EUA por fraude em testes de emissões vai custar US$15 bi, dizem fontes

terça-feira, 28 de junho de 2016 09:26 BRT
 

Por David Shepardson

WASHINGTON (Reuters) - O acordo da Volkswagen (VOWG_p.DE: Cotações) com quase 500 mil consumidores e autoridades nos Estados Unidos devido ao escândalo de fraude em testes de emissões de poluentes de veículos a diesel deve custar mais de 15 bilhões de dólares em dinheiro, afirmaram duas fontes com conhecimento do assunto.

O acordo, que será anunciado nesta terça-feira em Washington, inclui 10,033 bilhões de dólares em oferta de recompra de cerca de 475 mil veículos e quase 5 bilhões de dólares em fundos para compensar emissões excessivas de diesel e impulsionar investimento em veículos de emissão zero, afirmaram as fontes.

Um acordo separado com quase todos os promotores estaduais dos EUA sobre as emissões excedentes descobertas será anunciado também nesta terça-feira e deve custar mais de 500 milhões de dólares, levando a conta do escândalo para mais de 15 bilhões de dólares, disse outra fonte.

Representantes da Agência de Proteção Ambiental dos EUA e da Volkswagen não comentaram o assunto.

O acordo deriva da admissão pela montadora alemã em setembro passado de que fraudou testes de emissões de poluentes de veículos a diesel ao incorporar um software nos carros que mascarava emissões até 40 vezes maiores que os limites previstos pela lei dos EUA.

Mas os problemas do grupo não acabam nos EUA, já que ações criminais e civis estão pendentes em outros países. Enquanto isso, governos da União Europeia estão exigindo que a Volkswagen ofereça compensações similares aos donos de 8,5 milhões de veículos fraudados na região, o que pode fazer com que os custos do escândalo cresçam ainda mais para o grupo alemão.

Uma das fontes afirmou que os donos de carros Volkswagen com motores diesel 2.0 e fabricados entre 2009 e 2015 receberão pelo menos 5.100 dólares em compensação junto com o valor estimado dos veículos até setembro de 2015, antes do surgimento do escândalo. Alguns proprietários receberão até 10 mil dólares como compensação, disse a fonte, dependendo do valor do veículo.

 
Logo da Volkswagen em concessionária de Bochum, na Alemanha. 16/03/2016  REUTERS/Ina Fassbender