Draghi pede alinhamento global de políticas de bancos centrais

terça-feira, 28 de junho de 2016 09:37 BRT
 

Por Francesco Canepa e Balazs Koranyi

SINTRA, Portugal (Reuters) - Os bancos centrais em todo o mundo deveriam alinhar suas políticas monetárias para ajudar a impedir "contágios desestabilizadores" entre economias que crescem a diferentes ritmos, afirmou nesta terça-feira o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi.

Draghi não fez nenhuma referência à votação do Reino Unido para deixar a União Europeia na semana passada, que afetou os mercados globais e colocou em dúvida o futuro da UE.

Em vez disso, ele se concentrou nos efeitos adversos das políticas monetárias divergentes entre os diferentes países, citando grandes flutuações nas taxas de câmbio e variações nos fluxos de capital, particularmente nas economias emergentes.

"A política monetária tem inevitavelmente criado contágios desestabilizadores também, especialmente quando ciclos empresariais têm sido menos alinhados", disse Draghi em um fórum do BCE em Sintra, Portugal.

Economias emergentes passaram por vários surtos de volatilidade cambial e de fluxo de capital nos últimos três anos uma vez que a disponibilidade de dólares, importante componente das condições de liquidez global, se apertou junto com a política monetária do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos.

Isso reanimou os pedidos para uma coordenação global de política monetária, perspectiva que presidentes de banco central tendem a recusar porque afetaria sua independência.

"Podemos não precisar de coordenação formal de políticas. Mas podemos nos beneficiar de um alinhamento de políticas", disse Draghi. "O que quero dizer com alinhamento é um diagnóstico compartilhado das causas dos desafios que nos afetam a todos; e um compromisso compartilhado para estabelecer nossas políticas domésticas com esse diagnóstico."