Ser eleva oferta por Estácio, quer seu CEO para liderar empresa combinada, diz fonte

quarta-feira, 29 de junho de 2016 10:23 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Ser Educacional acirrou nesta quarta-feira a disputa pela Estácio Participações, ampliando a oferta em dinheiro no esforço para se unir à segunda maior empresa privada de educação do país, que também é alvo de oferta pelo controle da própria família fundadora e de outra da líder Kroton.

A Ser propôs pagar 1 bilhão de reais, ou 3,25 reais por ação, em dividendos extraordinários, ante proposta anterior de distribuição de 590 milhões de reais. Já a fatia para cada companhia numa combinação dos negócios foi mantida no patamar sugerido no começo do mês, com os acionistas atuais da Estácio com 68,7 por cento, enquanto os da Ser teriam 31,3 por cento.

"É de extrema importância que o Conselho de Administração da Estácio, ao avaliar as propostas e formular sua recomendação aos seus acionistas, leve em consideração os diferentes riscos regulatórios envolvidos em todas as propostas enviadas", diz trecho do documento publicado nesta manhã.

Segundo a Ser, estes riscos poderiam atrasar o fechamento do negócio e reduzir os benefícios da combinação que seriam gerados aos acionistas das companhias, em uma clara referência à proposta da Kroton, que se concretizada, criará um participante do mercado muito maior do que os concorrentes.

A proposta é válida até as 18h de 8 de julho, disse a Ser.

CEO E FINANCIAMENTO

A Ser já acertou operações estruturadas com dois bancos para financiar a operação, disse à Reuters uma fonte a par das negociações.

"Isso já está assegurado", afirmou, acrescentando que a alavancagem da companhia combinada seria de 1,2 vez o Ebitda ajustado em relação à dívida líquida.   Continuação...