Cyrela vê geração de caixa em risco em meio a recorde de cancelamento de vendas

sexta-feira, 1 de julho de 2016 15:59 BRT
 

Por Ana Mano

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Cyrela Brazil Realty, maior incorporadora do Brasil, pode não gerar fluxo de caixa livre este ano, enquanto luta contra o impacto de cancelamentos de vendas e o pior mercado para o setor imobiliário em décadas, disse à Reuters o diretor financeiro, Eric Alencar.

Até o momento no ano, a Cyrela registrou fluxo de caixa negativo, afirmou Alencar, referindo-se ao dinheiro direcionado aos acionistas e detentores de bônus após a empresa pagar todas as suas despesas operacionais e financeiras.

A companhia estima distratos (cancelamentos de vendas) de 25 por cento das vendas totais, o maior nível desde pelo menos 1982.

A companhia, controlada pelo bilionário Elie Horn, teve uma geração de caixa de cerca de 900 milhões de reais no ano passado, com mais da metade vindo no final do ano.

"A companhia pode não gerar caixa em 2016", disse Alencar à Reuters esta semana, explicando que os distratos estão afetando sua habilidade de produzir fluxo de caixa livre.

A previsão para geração de caixa em 2017 parece menos desafiadora, acrescentou o executivo, com a volta dos financiamentos bancários e melhora da confiança dos consumidores.

No primeiro trimestre, a Cyrela teve queima de caixa de 13 milhões de reais, de acordo com os relatório do período. A companhia está programada para divulgar os dados do segundo trimestre em 9 de agosto.

Os comentários foram feitos em meio a crescentes preocupações de investidores de que a Cyrela poderia priorizar as aquisições em detrimento do caixa, em um momento em que o Brasil vive a pior recessão em décadas.   Continuação...