4 de Julho de 2016 / às 20:42 / um ano atrás

Bovespa avança pelo 5º pregão em sessão de liquidez reduzida sem NY; CPFL Energia lidera ganhos

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou com o seu principal índice em alta pelo quinto pregão seguido nesta segunda-feira, com as ações da CPFL Energia liderando os ganhos após a Camargo Corrêa SA anunciar venda de sua fatia no bloco de controle da elétrica para a chinesa State Grid.

O Ibovespa subiu 0,64 por cento, a 52.568 pontos, renovando máxima desde meados de maio. Mas o giro do pregão foi reduzido, totalizando apenas 3,6 bilhões de reais, em razão da ausência de Wall Street por feriado nos Estados Unidos.

O analista Vitor Suzaki, da Lerosa Corretores de Valores, ponderou que a liquidez do pregão foi bastante baixa sem o mercado norte-americano, mas que o ambiente global parece ainda favorável a ativos de risco, dado o cenário de manutenção dos juros bastante baixos no exterior.

“Com o quadro de estabilidade e leve alta de commodities e perspectivas melhores dos novos governos na América Latina temos visto um fluxo forte nos últimos dias, apesar de toda a incerteza com os eventos na Europa ligados ao Brexit”, disse Suzaki, em referência a decisão britânica de deixar a União Europeia.

DESTAQUES

- CPFL ENERGIA subiu 8,51 por cento, a 22,31 reais, máxima de fechamento desde maio de 2012, após a Camargo Corrêa SA fazer acordo para vender sua fatia de 23 por cento no bloco de controle da distribuidora de energia para a gigante estatal chinesa State Grid Corp. O valor oferecido pela State Grid representa um prêmio de 21,6 por cento sobre o preço de fechamento da ação da CPFL na sexta-feira. O movimento beneficiou o setor elétrico como um todo.

- BRADESPAR, que detém 5,25 por cento do capital total da CPFL, valorizou-se 6,84 por cento, com analistas vendo cenário para exercício de tag along. As ações da Bradespar também eram ajudadas pelo avanço dos papéis da mineradora Vale, onde é relevante acionista.

- VALE (VALE3.SA) encerrou com as preferenciais em alta de 2,04 por cento e os papéis ordinários com avanço de 2,11 por cento, em linha com papéis de mineradoras no exterior, acompanhando a alta do preço do minério de ferro à vista na China.

- PETROBRAS fechou com as preferenciais em alta de 0,51 por cento e as ações ordinárias em queda de 0,33 por cento, conforme os preços do petróleo perderam o fôlego.

- JBS (JBSS3.SA) subiu 4,32 por cento, recuperando-se de perda na sexta-feira, quando o papel fechou em baixa de 5 por cento, pressionada pela notícia de que a Polícia Federal deflagrou operação no âmbito da Lava Jato tendo entre os alvos a Eldorado Celulose, do mesmo grupo que controla a JBS, a holding J&F. A JBS informou em comunicado que não é alvo da operação das autoridades.

- ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES perdeu 1,98 por cento, entre maiores quedas do Ibovespa, após três sessões consecutivas de ganhos. O conselho da empresa se reunirá nesta semana para avaliar a proposta da KROTON EDUCACIONAL, que fechou em queda de 1,4 por cento.

- SMILES caiu 2,7 por cento, na esteira do declínio de 5,88 por cento de sua controladora GOL, que não faz parte do Ibovespa, após resultado aquém das expectativas na oferta de troca de dívida. O oferta da companhia aérea teve adesão de cerca de 20 por cento do total de detentores de bônus.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below