Pessimismo entre empresas britânicas quase dobra após decisão de saída da UE

segunda-feira, 4 de julho de 2016 20:41 BRT
 

LONDRES (Reuters) - A confiança entre empresas britânicas caiu profundamente após o referendo que decidiu pela saída do Reino Unido da União Europeia, mostrou uma pesquisa divulgada na terça-feira (horário local, noite de segunda-feira no Brasil), reforçando a visão de que a economia pode enfrentar tempos difíceis após a histórica decisão.

O percentual de empresas pessimistas sobre a economia nos próximos 12 meses saltou para 49 por cento na semana após o referendo, ante 25 por cento antes do resultado do referendo, segundo uma pesquisa realizada pelo YouGov e pelo Centro de Pesquisas Econômicas e Empresariais (Cebr, na sigla em inglês).

A decisão britânica de sair da UE provocou caos político, uma forte queda na libra esterlina e obscureceu as perspectivas econômicas.

Diante desse cenário, o presidente do Banco da Inglaterra, Mark Carney, disse que provavelmente terá de dar mais estímulos à economia durante o verão no hemisfério norte.

"Esses dados... sugerem uma reação de choque significativo (à saída britânica da UE)", disse Scott Corfe, diretor do Cebr.

"Não somente as empresas estão muito mais pessimistas no geral sobre o estado da economia, mas suas próprias expectativas para as vendas domésticas, exportações e investimentos sobre os próximos 12 meses caíram pelo abismo."

A pesquisa com mil empresas sediadas no Reino Unido também mostrou que 26 por cento dos entrevistados estavam pessimistas sobre a perspectiva de seus próprios negócios, contra 16 por cento antes do referendo.

(Reportagem de Ana Nicolaci da Costa)