Projeção de rombo primário de 2017 deve ser fechada até 5ª-feira, diz Meirelles

terça-feira, 5 de julho de 2016 13:48 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que a previsão de déficit primário de 2017 deve ser fechada até quinta-feira, e que o governo também tem de pensar em venda de ativos neste contexto, além de não descartar aumento de impostos.

Meirelles, que participou de reunião no Palácio do Planalto nesta terça-feira, disse que o governo está trabalhando na avaliação da receita e que é preciso analisar diversas variáveis, como o crescimento econômico. Além disso, o ministro afirmou ainda que é preciso considerar privatização e venda de ativos.

Questionado sobre a possibilidade de aumento de impostos, Meirelles disse: "Estamos considerando e vamos divulgar as conclusões".

A expectativa do governo era fechar nesta terça-feira a meta fiscal para o próximo ano, sendo que no governo há avaliações de que o rombo primário de 2017 deve ficar entre 150 bilhões de reais e 170,5 bilhões de reais, mesma projeção para 2016. No ano passado, o país fechou as contas com um rombo de 116,65 bilhões.

Com a definição da meta fiscal ficando para quinta-feira, o Congresso Nacional deve votar a pauta somente a partir de agosto, disse o líder do governo na Câmara dos Deputados, André Moura (PSC-SE).

O deputado disse que a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2017 deve ser encaminhada pelo governo do presidente interino Michel Temer até a quinta-feira e que a votação deve ocorrer somente no segundo semestre legislativo. A intenção inicial do governo era votar a proposta até o dia 13 de julho.

(Reportagem de Lisandra Paraguassu; Texto de Patrícia Duarte)