Enchentes na China podem elevar preços e importações de carne suína

sexta-feira, 8 de julho de 2016 10:18 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - Os preços da carne suína na China, que já estão próximos de máximas recordes, podem ser ainda mais inflados após milhares de animais morrerem afogados e com o transporte para frigoríficos interrompido por fortes enchentes no sul do país, disseram analistas nesta sexta-feira.

Os preços elevados no maior mercado global de carne suína é uma grande preocupação para o governo chinês mas pode ser positivo para exportadores na Europa e nos Estados Unidos.

Algumas regiões do sul da China e províncias centrais receberam mais de 500 milímetros de chuvas desde o início de julho, em uma temporada de enchentes de verão pior que o comum.

Os preços, atualmente em 18 iuanes (2,69 dólares) por quilo por suíno vivo, podem atingir 22 iunaes (3,29 dólares) no terceiro trimestre, acima do recorde de 21 iuanes registrado no início do ano, disse o analista sênior do Rabobank Pan Chenjun.

Embora ainda não esteja claro quantas fazendas foram afetadas, o website setorial Soozhu.com relatou uma alta mortalidade de leitões em algumas partes das províncias de Hubei e Anhui, enquanto o Ministério da Agricultura disse que milhares de suínos gordos morreram. A China tem cerca de 37 milhões de matrizes e um rebanho de cerca de 380 milhões de suínos.

"O impacto em números pode não ser tão grande, mas o impacto na confiança dos produtores é maior. Se o clima continuar volátil, eles irão reduzir a reposição de rebanhos", disse Pan.

A China consome cerca de 54 milhões de toneladas de carne suína por ano, quase toda ela produzida no país.

A estimativa do analista é de que as importações poderão atingir 2 milhões de toneladas este ano, ante de 1,55 milhão no ano passado. O comércio global de carne suína gira em torno de 8 milhões de toneladas por ano.

(Por Dominique Patton)