G20 busca fortalecer crescimento do comércio diante de protecionismo

domingo, 10 de julho de 2016 10:42 BRT
 

XANGAI (Reuters) - Diante de um "preocupante" aumento do protecionismo, ministros do Comércio das principais economias mundiais concordaram em reduzir custos, aumentar a coordenação das políticas e melhorar o financiamento, disse o Ministro do Comércio da China, Gao Hucheng.

O grupo dos 20 ministros de Comércio, que encerraram um encontro de dois dias em Xangai neste domingo, aprovaram uma ampla estratégia de crescimento que visa reverter a desaceleração no comércio global, e apoiaram princípios que irão guiar as políticas de investimento global.

"A recuperação global continua, mas continua desigual e abaixo da nossa ambição por um crescimento forte, sustentável e balanceado. Os riscos de queda e vulnerabilidade persistem", disseram os ministros em um comunicado conjunto.

"Concordamos que precisamos fazer mais para atingir nossos objetivos em comum para o crescimento global, estabilidade e prosperidade."

O espectro do protecionismo tem aparecido sobre o comércio global em meio a um lento crescimento econômico e está pressionando as preocupações da China.

O setor de aço do país, enorme, porém com dificuldades, tem se apoiado nas exportações para compensar o impacto da baixa demanda doméstica, mas tem sido acusado de usar preços injustos para empurrar competidores estrangeiros para fora dos negócios.

Os ministros discutiram a necessidade de falar sobre supercapacidade, particularmente no setor do aço, mas alguns discordam sobre a necessidade de novos compromissos específicos para resolver o problema, disse uma autoridade sênior do comércio envolvida nas negociações, que não quis ser identificada, já que os detalhes das discussões não foram tornados públicos.

O comunicado conjunto refletiu as preocupações chinesas de que o país estava sendo isolado por culpa de um excesso que levou ao colapso dos preços globais, notando, ao contrário, que o excesso de capacidade no aço e outras indústrias é uma "questão global que exige respostas coletivas", e que subsídios e apoios governamentais poderiam causam distorções.

Os Estados Unidos têm sido uma voz crítica ao excesso de capacidade da China, afirmando que suas promessas não foram longe o suficiente para resolver o problema.   Continuação...