Premiê do Japão determina elaboração de novo pacote de estímulo econômico

segunda-feira, 11 de julho de 2016 08:30 BRT
 

Por Stanley White e Tetsushi Kajimoto

TÓQUIO (Reuters) - O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, determinou uma nova rodada de gastos de estímulo fiscal após uma vitória esmagadora no fim de semana na câmara alta do Parlamento, conforme aumentam as evidências de que o setor corporativo sofre com a demanda fraca.

Abe não deu detalhes do tamanho do pacote, mas as ações japonesas saltaram quase 4 por cento e o iene enfraqueceu diante da percepção de que a vitória dá a ele agora liberdade em relação à política econômica.

Uma inesperada queda nas encomendas de maquinário mostra que a economia precisa de algo para superar o investimento corporativo fraco. Economistas temem, entretanto, que o foco de Abe em gastos com obras públicas não vai lidar com as questões estruturais em torno da queda da população e da força de trabalho.

Mais obras públicas também aumentam a pressão sobre o banco central japonês para manter a taxa de juros baixa e o iene fraco para garantir que os gastos ganharão força.

O governo está proto para gastar mais de 10 trilhões de ienes (100 bilhões de dólares), disseram à Reuters fontes do partido governista antes da eleição.

"Vamos fazer investimentos ousados em sementes de crescimento futuro", disse Abe em entrevista à imprensa nesta segunda-feira, na sede do Partido Liberal Democrático.

Abe afirmou que quer fortalecer as exportações agrícolas de áreas rurais e melhorar a infraestrutura, como trens e portos, para receber mais turistas.

 
Primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, durante evento em Tóquio.    11/07/2016    REUTERS/Toru Hanai