Varejo surpreende e cai 1%, pior maio da série; melhora deve vir no 2º semestre

terça-feira, 12 de julho de 2016 11:04 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - As vendas no varejo do Brasil surpreenderam e recuaram em maio, no pior resultado para o mês na série histórica, porém especialistas acreditam que o setor pode apresentar mais firmeza e parar de cair no segundo semestre diante da melhora na confiança.

As vendas no varejo caíram 1 por cento em maio sobre o mês anterior, mostrando que o fôlego visto recentemente não conseguiu se sustentar em meio ao cenário de inflação e desemprego elevados e recessão econômica, com queda de 9,0 por cento na comparação com o mesmo mês de 2015.

Ambos os resultados divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) são os piores para maio desde o início da série, em 2000 e, na base anual, é a 14ª taxa negativa seguida. E piorando ainda mais o cenário, a alta de abril foi revisada para 0,3 por cento, de 0,5 por cento divulgada anteriormente.

Os resultados foram bem piores do que as expectativas em pesquisa da Reuters, de avanço de 0,40 por cento sobre abril e de queda de 6,15 por cento na comparação com maio de 2015, segundo a mediana das projeções.

DIA DAS MÃES

Os destaques entre as atividades pesquisadas foram, segundo o IBGE, as quedas de 2,4 por cento nas vendas de Outros artigos de uso pessoal e doméstico e de 1,3 por cento em Móveis e eletrodomésticos.

"(Essas atividades) foram determinantes para a queda de maio em meio a um ambiente econômico desfavorável e fragilidade da renda e restrição orçamentária", destacou a economista do IBGE Isabella Nunes.   Continuação...