July 12, 2016 / 3:32 PM / a year ago

China ajuda Brasil a elevar exportação de carne de frango em 8% em 2016, diz ABPA

4 Min, DE LEITURA

SÃO PAULO (Reuters) - Os embarques de carne de frango do Brasil, maior fornecedor global, deverão subir 8 por cento em 2016, ante uma expectativa inicial de alta de 3 a 5 por cento no ano, estimou nesta terça-feira a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), devido a vendas aquecidas para China e Oriente Médio, entre outros destinos.

Nos seis primeiros meses do ano, o volume exportado pelo país foi de 2,3 milhões de toneladas, alta de 13,8 por cento ante o mesmo período de 2015, com destaque para a China, segundo maior comprador de carne de frango do Brasil, com alta de 110 por cento no período.

"Eles têm problemas de reservas hídricas, de migração do campo para cidade, e muitos problemas de sanidade", disse o presidente da ABPA, Francisco Turra, para reforçar o otimismo com os negócios com a China também no longo prazo.

A Arábia Saudita, principal destino da carne de frango do Brasil, elevou suas compras em 20 por cento no primeiro semestre, informou a ABPA.

Ainda assim, as indústrias disseram que o cenário de 2016 é de crise, já que muitas não acessam o mercado de exportação e para todas houve uma forte alta nos custos dos insumos das rações, principalmente do milho.

Nesse contexto, a produção de carne de frango no país este ano deverá cair para 13 milhões de toneladas, ante 13,14 milhões em 2015 e 13,5 milhões da previsão inicial para 2016, devido à crise de abastecimento de milho.

"As exportações foram a saída, mas o setor viveu crise, com empresas fechando. O preço dos insumos foi para as nuvens, foi terrível", disse Turra.

O Brasil realizou, desde o fim de 2015, fortes exportações de milho, na esteira de um câmbio bastante favorável, esgotando os estoques domésticos e obrigando indústrias de aves e suínos a comprar grãos a preços recordes.

Segundo a ABPA, a oferta de carne de frango no mercado interno deverá recuar 5 por cento em 2016 ante 2015, o que deverá gerar aumento de preços aos consumidores.

estratégia

Além de reduzir a produção de frangos, as empresas estão buscando mecanismos de mercado para equilibrar a oferta e seu consumo de milho.

"Queremos que o produtor brasileiro fique fidelizado à agroindústria brasileira, que apenas o excedente (de milho) seja exportado", disse Turra.

Segundo ele, muitos produtores de aves e suínos já começaram a negociar com agricultores e cooperativas os contratos para fornecimento em 2017, na expectativa de estimular o plantio.

"O produtor, se tiver garantia, 'já vendi minha safra adiantada para tal empresa', vai plantar", afirmou o executivo, sem detalhar volumes de negócios antecipados.

suínos

As exportações de carne suína do Brasil deverão fechar 2016 com alta de 28 por cento em volume na comparação com 2015, devido à boa demanda da China e da Rússia, projetou a ABPA.

Vivendo situação de margens apertadas semelhantes às do setor de frango, o setor de suínos deverá produzir 3,64 milhões de toneladas desse tipo de carne em 2016, estável ante 2015. Anteriormente, a previsão era de alta para 3,76 milhões de toneladas produzidas.

Por Gustavo Bonato

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below