La Niña pode afetar qualidade do café do Vietnã e reduzir oferta da Ásia

quinta-feira, 14 de julho de 2016 10:04 BRT
 

HANÓI (Reuters) - O fenômeno climático La Niña pode causar chuvas mais para o final do ano que poderiam afetar a qualidade do café no Vietnã, maior produtor de robusta, reduzindo o volume de grãos exportáveis e cortando a oferta da Ásia na temporada 2016/17, disse uma fonte oficial.

Uma produção menor da Ásia pode pressionar os preços globais, minando a demanda de torrefadoras, que cresceu após a recente alta nos descontos do robusta ante o arábica em contratos futuros, embora uma produção recorde de arábica no Brasil possa ajudar a compensar os impactos.

As chuvas no principal cinturão produtor de café do Vietnã, atingido mais cedo neste ano pela pior seca em 30 anos, poderiam ficar entre 5 e 15 por cento acima da média em outubro e novembro, disse o centro meteorológico nacional neste mês.

A colheita começa em outubro e tem seu pico em novembro. A chuva pode interromper a secagem e atrasar a colheita das cerejas. Ela pode também fazer as cerejas caírem antes do tempo e levar a grãos pretos, e não marrons, um defeito para as variedades destinadas a exportação, disse o presidente do Conselho da Associação de Café e Cacau do Vietnã, Luong Van Tu.

"A qualidade dos grãos será afetada porque os produtores não têm muitos equipamentos para secagem e têm que confiar no clima", disse ele à Reuters.

Os contratos futuros de robusta na ICE podem atingir 1.900 dólares por tonelada no final do ano, em parte devido ao impacto das chuvas sobre o ritmo das colheitas e a qualidade dos grãos no Vietnã, disse o analista independente Nguyen Quang Binh. Ele ressaltou, no entanto, que a produção não será afetada.

(Por Ho Binh Minh)