Serra diz ser revelador que Canadá reconheça subsídios à Bombardier

sexta-feira, 15 de julho de 2016 21:30 BRT
 

Por Allison Lampert e Lisandra Paraguassu

MONTREAL/BRASÍLIA (Reuters) - O ministro das Relações Exteriores, José Serra, afirmou nesta sexta-feira que as declarações do primeiro-ministro do Canadá de que todos os países dão suporte à indústria aeroespacial são reveladoras e confirmam que o país norte-americano subsidia a Bombardier, concorrente direta da brasileira Embraer no mercado de jatos regionais.

Em entrevista à Reuters na quinta-feira, Serra disse que o governo brasileiro estuda abrir um segundo contencioso contra o Canadá na Organização Mundial do Comércio por subsídios dados à fabricante de aeronaves, em um movimento que reacenderia uma disputa de duas décadas entre os dois países.

O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, minimizou as declarações do ministro brasileiro, ao afirmar nesta sexta-feira que "não há país no mundo que não forneça pesados subsídios a seu setor aeroespacial".

“É revelador que o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, reconheça de público que o governo canadense subsidia pesadamente a Bombardier. Estimativas da empresa brasileira apontam para um conjunto de apoios oficiais que somam 3,5 bilhões de dólares norte-americanos", disse Serra em nota enviada à Reuters.

"O governo brasileiro não faz isso e entende que esse tipo de política, além de distorcer a divisão internacional do trabalho, afeta negativamente os fluxos comerciais", diz o texto enviado por e-mail à Reuters.

O Canadá insistiu nesta sexta-feira que segue as regras comerciais internacionais.

A Bombardier, com sede em Montreal, é a principal concorrente da brasileira Embraer na produção e na venda de aviões comerciais regionais.

O Brasil tem dito que o financiamento do governo canadense garante à Bombardier uma vantagem indevida nas campanhas de vendas de aeronaves.   Continuação...

 
Avião CSeries, da Bombardier, se prepara para voo de demonstração. 29/06/2016. REUTERS/Christinne Muschi