Associação de usineiros indianos não vê motivo para preocupações por queda em estoques

sexta-feira, 15 de julho de 2016 18:57 BRT
 

BANGCOC (Reuters) - Os estoques de açúcar indiano vão cair ao seu menor nível em mais de uma década no próximo ano à medida que o consumo supera a oferta, mas ainda será suficiente para a maior consumidora de açúcar do mundo, disseram usineiros da Índia nesta sexta-feira.

A seca dos dois últimos anos na Índia e no segundo maior produtor de açúcar do mundo, Tailândia, secaram a cana-de-açúcar e cortaram o abastecimento. Contratos futuros internacionais do açúcar alcançaram uma máxima de quase quatro anos no fim de junho.

A produção indiana na safra 2016/17 deve cair para cerca de 23,3 milhões de toneladas devido à seca, ante 25,1 milhões no ano anterior, disse o presidente da Associação Indiana de Usinas de Açúcar, Tarun Sawhney, em uma entrevista à Reuters em Bangcoc, nesta sexta-feira.

Com o consumo em 26 milhões de toneladas, a Índia iria tirar cerca de 2,7 milhões de toneladas dos estoques e deixá-los em 4,3 milhões de toneladas ao final da safra 2016/17, disse Sawhney.

Os preços do açúcar indiano dispararam mais de 50 por cento desde outubro e contribuíram para a inflação, mas Sawhney disse que não há motivo para uma mudança na política do governo para encorajar importações de açúcar.

"A preocupação do governo, e com razão, é que os preços não aumentem dramaticamente a qualquer momento", disse Sawhney. "Mas nós temos açúcar o suficiente, então não há razão para os preços domésticos aumentarem abruptamente."

(Por Simon Webb e Patpicha Tanakasempipat)