Light pede aumento de tarifa por calotes no RJ e crescimento de furtos de energia

segunda-feira, 18 de julho de 2016 12:48 BRT
 

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - A distribuidora Light, que atende parte do Rio de Janeiro, pediu à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) uma revisão extraordinária de tarifas após sofrer elevadas perdas financeiras por atrasos em pagamentos pelo governo fluminense e em meio a um forte aumento em furtos de energia e inadimplência dos clientes.

A empresa alegou que a tarifa pleiteada significaria alta de cerca de 1 por cento para os consumidores, mas ajudaria a melhorar sua atual situação de "profundo desequilíbrio econômico-financeiro", segundo documento ao qual a Reuters teve acesso.

O endividamento da Light fechou março perto dos limites acertados junto aos credores, mesmo após uma renegociação do limite para a alavancagem em novembro do ano passado.

Atualmente a dívida líquida da Light, controlada pelo grupo mineiro Cemig, representa 4,24 vezes a geração de caixa da companhia medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda), ante teto de 4,25 vezes.

O pedido de reajuste extraordinário foi feito em uma reunião da empresa com a Aneel na última quinta-feira, quando a Light afirmou à agência que também tem sofrido com um aumento da necessidade de investimentos em função da realização dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro neste ano.

DÍVIDAS DO PODER PÚBLICO

Em apresentação feita durante esse encontro, a Light disse ainda que possuía cerca de 500 milhões de reais em faturas atrasadas junto a clientes do poder público em março de 2016, o que tem prejudicado a geração de caixa da concessionária.   Continuação...