BCE mantém política monetária e vê impacto de decisão britânica inicialmente contido

quinta-feira, 21 de julho de 2016 11:49 BRT
 

Por Balazs Koranyi e Francesco Canepa

FRANKFURT (Reuters) - O Banco Central Europeu (BCE) deixou as taxas de juros e os planos de política monetária inalterados nesta quinta-feira e disse que o estresse imediato causado nos mercados pela decisão britânica de deixar a União Europeia (UE) foi contido.

Entretanto, o presidente do BCE, Mario Draghi, disse que ainda era muito cedo para determinar o impacto total da decisão do Reino Unido e salientou que o banco central da zona do euro está preparado para tomar mais ações para elevar a inflação e o crescimento econômico se necessário.

"Os riscos para a economia da zona euro permanecem inclinados para o lado negativo", disse ele em entrevista coletiva após o BCE deixar os juros e outras medidas inalteradas.

O BCE manteve sua taxa de depósito em -0,40 por cento e a de refinanciamento em zero, ambas nas mínimas, conforme busca reduzir os custos dos empréstimos para as empresas e forçar os bancos a emprestar dinheiro ao invés de deixar o dinheiro com ele.

O BCE acrescentou que as taxas permaneceriam nos níveis atuais ou mais baixos por um período prolongado e bem além do horizonte das compras de ativos para impulsionar a inflação e injetar dinheiro na economia enfraquecida da zona do euro.

O BCE repetiu que seu programa de compra de ativos de 80 bilhões de euros por mês --o qual Draghi considerou "bem sucedido"-- vai acontecer até o final de março de 2017, ou além disso se necessário, até que a autoridade monetária veja um ajuste sustentado na trajetória da inflação consistente com sua meta de inflação.