Estoques privados de café do Brasil caem 5,4% em 2016, diz Conab

sexta-feira, 22 de julho de 2016 18:05 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) apontou queda de 5,4 por cento nos estoques privados de café do Brasil em 31 de março de 2016 ante o mesmo período de 2015, para 13,59 milhões de sacas de 60 kg, segundo relatório publicado nesta sexta-feira.

Do total apurado no levantamento, realizado antes do início da colheita deste ano no maior produtor e exportador global, 12,47 milhões de sacas se referem ao café arábica e 1,12 milhão de sacas de robusta.

Após três quedas consecutivas na safra nacional, os estoques privados totais de café divulgados pela Conab para 2016 foram os menores desde os registrados em 2013, quando a estatal apurou 11,8 milhões de sacas, sendo 10,7 milhões de arábica e 1,1 milhão de robusta.

Os estoques de arábica registrados pela Conab em Minas Gerais correspondem a 76 por cento dos estoques privados desta variedade no Brasil.

Na semana passada, o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé) disse que o Brasil esgotou boa parte de seus estoques, com fortes exportações e um consumo interno consistente.

Pela metodologia do Cecafé, o ano comercial 2015/16, encerrado em junho, registrou queda de 3,8 por cento nos embarques de café verde, que totalizaram 31,79 milhões de sacas no período. A queda nas exportações foi atribuída, em grande parte, à falta de disponibilidade de produto.

A corretora Escritório Carvalhaes, de Santos (SP), destacou em relatório que as exportações brasileiras nos meses de abril, maio e junho somaram 7,36 milhões de sacas e que o consumo interno brasileiro no mesmo período foi de aproximadamente 5 milhões de sacas, em um cálculo conservador.

Desta forma, os estoques brasileiros chegariam em 30 de junho em cerca de 1,23 milhão de sacas.

"O levantamento confirma que iniciamos o novo ano-safra brasileiro (julho de 2016 a junho de 2017) com estoques de passagem praticamente zerados", disse a corretora.

(Por Roberto Samora e Gustavo Bonato)