Petrobras aceita compartilhar controle da BR Distribuidora para atrair sócio

sexta-feira, 22 de julho de 2016 21:10 BRT
 

Por Marta Nogueira e Jeb Blount

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Petrobras decidiu reformular o modelo de busca por sócios na BR Distribuidora, passando a aceitar ofertas pelo controle compartilhado de sua subsidiária de combustíveis, numa operação que deverá ser concluída no início do próximo ano.

A decisão foi aprovada pelo Conselho de Administração nesta sexta-feira, menos de dois meses após Pedro Parente assumir o comando da empresa, em uma reunião marcada por uma série de medidas que buscam facilitar a obtenção de recursos e cancelar investimentos que não seriam lucrativos para a petroleira em refino.

No modelo de venda da BR, haverá uma estrutura societária que envolverá as classes de ações ordinárias e preferenciais, de forma que a Petrobras permaneça majoritária no capital total, mas com uma participação de 49 por cento no capital votante.

"Até o fim do ano, a gente espera receber as ofertas vinculantes com relação a esse modelo de venda... (um possível fechamento) ficaria para o início do ano que vem", afirmou nesta sexta-feira a gerente-executiva de Aquisições e Desinvestimentos da petroleira estatal, Anelise Quintão Lara, em uma conferência com jornalistas por telefone.

A reformulação do modelo de vendas da BR Distribuidora, formalmente nomeada Petrobras Distribuidora, ocorreu depois que houve um baixo interesse pelo modelo ofertado inicialmente, onde a Petrobras ainda teria o controle, segundo a executiva.

Anelise explicou que, das três propostas recebidas pela petroleira, duas previam o controle compartilhado, embora o modelo proposto inicialmente pela Petrobras não fosse esse.

O novo modelo de venda, segundo ela, busca maximizar o valor do negócio de distribuição de combustíveis, atender os objetivos estratégicos da Petrobras e manter a operação integrada na cadeia do petróleo.

A executiva explicou que quando o processo de venda for colocado no mercado haverá uma minuta de um acordo de acionistas que irá refletir questões estratégicas para a Petrobras, onde os proponentes poderão ter uma maior clareza sobre o negócio.   Continuação...