Fibria vê sinal positivo para reajustes de preços de celulose

segunda-feira, 25 de julho de 2016 16:24 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Fibria, maior produtora mundial de celulose de eucalipto, avalia que a recuperação em curso das vendas de celulose para a China é um sinal positivo para futuros aumentos de preço da commodity, mas não espera reajustes acentuados no curto prazo, afirmaram executivos da companhia nesta segunda-feira.

Mais cedo, a Fibria divulgou alta de 21 por cento no lucro líquido do segundo trimestre sobre um ano antes, para 745 milhões de reais, como a moeda brasileira mais forte reduzindo o custo do serviço da dívida externa e da construção de uma nova e enorme fábrica no Centro-Oeste do Brasil.

A valorização do real ante o dólar de quase 11 por cento no último trimestre reduziu o valor da dívida denominada em moeda estrangeira da Fibria em quase 1 bilhão de reais e reduziu o custo do projeto de expansão Horizonte II em 800 milhões de reais.

Ainda assim, a valorização do real reduziu a competitividade do negócio da Fibria voltado para a exportação.

"O cenário continua desafiador no curto prazo por causa de preços menores de celulose, câmbio mais forte e geração de caixa menor", disseram analistas do BTG Pactual em nota.

O diretor comercial da Fibria, Henri Philippe van Keer, afirmou a jornalistas que demanda mais forte da China é um bom sinal, mas que o mercado não está pronto para o tipo de rali visto nos últimos anos.

As ações da empresa, apesar disso, tinham alta de 0,92 por cento, às 16:22, enquanto o Ibovespa mostrava baixa de 0,5 por cento.

(Por Brad Haynes)