Valero diz que custo para misturar biocombustíveis pode dobrar em 2016

terça-feira, 26 de julho de 2016 18:43 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - A Valero Energy, a maior refinaria dos Estados Unidos, espera desembolsar meio bilhão de dólares no segundo semestre graças ao custo crescente para atender mandatos do governo para misturar biocombustíveis.

Para o ano inteiro, o custo da companhia para misturar biocombustíveis como etanol vai aumentar para um valor entre 750 milhões de dólares e 850 milhões de dólares, principalmente para pagar os créditos de papeis usados para atender ao programa de biocombustíveis dos EUA, o Renewable Fuel Standard (RFS), disse a refinaria sediada no Texas nesta terça-feira ao reportar os resultados do segundo trimestre.

O programa RFS exige que refinarias de petróleo e importadoras misturem mais combustíveis renováveis ou comprem créditos em um mercado opaco e algumas vezes volátil. Créditos de conformidade para atender aos padrões, conhecidos como Renewable Identification Numbers (RINs) estavam cerca de 25 por cento mais caros no segundo trimestre do um ano antes.

Os custos do segundo semestre podem girar em torno de 516 milhões de dólares, quase se igualando os 517 milhões de dólares usados para o ano inteiro de 2013, quando preços dos RINs superaram um recorde de 1,40 dólar a unidade. O preço atual é de cerca de 0,96 dólares.

(Por Chris Prentice)