Vale lucra R$3,6 bi no 2º tri, queda de 30% sobre 2015 por provisão para Samarco

quinta-feira, 28 de julho de 2016 10:08 BRT
 

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Vale, maior produtora global de minério de ferro, anunciou nesta quinta-feira um lucro líquido de 3,585 bilhões de reais, queda de 30 por cento na comparação com o mesmo período do ano passado, impactado principalmente por uma provisão anunciada na véspera de 3,733 bilhões de reais relacionada ao rompimento de uma barragem da Samarco.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado somou 8,341 bilhões de reais, alta de 22 por cento ante o mesmo período do ano passado, diante de maiores vendas de minério de ferro.

Na moeda norte-americana, o lucro líquido no segundo trimestre somou 1,106 bilhão de dólares, levemente acima do valor médio esperado por analistas, de cerca de 1 bilhão de dólares, de acordo com uma pesquisa realizada pela Reuters.

A Vale informou que a receita líquida totalizou 23,203 bilhões no segundo trimestre, alta de 8 por cento ante o mesmo período de 2015, em meio a maiores volumes de venda de finos de minério de ferro.

Em um vídeo publicado na internet, o diretor-executivo de Finanças e Relações com Investidores da Vale, Luciano Siani, afirmou que foi um trimestre de avanços nos principais objetivos da companhia, que são a melhoria na competitividade, a entrega do plano de investimentos e a redução de sua dívida.

O executivo destacou que a Vale bateu recorde de produção para um segundo trimestre, em Carajás, com 36,5 milhões de toneladas. O indicador é importante, já que o ativo produz um minério com maior retorno, enquanto a empresa reduz a produção em minas menos rentáveis, diante dos baixos preços da commodity.

Segundo a companhia, o volume de minério de ferro (finos) vendido somou 72,678 milhões de toneladas, ante 67,230 milhões no mesmo período do ano passado. Isso apesar de a produção total de minério da empresa ter caído 2,8 por cento no período.

A empresa afirmou que o preço realizado de finos de minério de ferro (CFR/FOB) atingiu 48,30 dólares/t no 2º trimestre, ante 50,44 dólares/t no mesmo período do ano passado, mas ficou acima dos 46,50 dólares/tonelada do primeiro trimestre.

Siani destacou ainda que a empresa teve o menor custo de sua história recente para o minério colocado na China, de 30,3 dólares por tonelada, incluindo as despesas de capital.   Continuação...

 
Sede da Vale, no Rio de Janeiro.    20/08/2014    REUTERS/Pilar Olivares/File Photo