Dólar ronda estabilidade ante real à espera do BC japonês

quinta-feira, 28 de julho de 2016 10:41 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar rondava a estabilidade frente ao real nesta quinta-feira, em mais uma sessão de baixo volume de negócios na véspera da decisão do Banco do Japão, com alguns apostando que o banco central japonês deve anunciar novos estímulos monetários.

No mercado brasileiro, os negócios eram influenciados também pela briga pela formação da Ptax de julho, que acontecerá no dia seguinte.

Às 10:38, o dólar avançava 0,04 por cento, a 3,2722 reais na venda, após ficar quase estável na sessão anterior. O dólar futuro também era negociado perto do zero a zero nesta manhã.

"Tem sido uma semana mais tranquila em termos de notícia e a questão do Banco do Japão acabou monopolizando as atenções (neste pregão). Não tem por que arriscar muito agora, antes de um evento importante como esse", disse o operador da corretora B&T Marcos Trabbold.

Notícias de que o governo japonês vai apresentar um novo pacote de estímulos econômicos alimentaram expectativas de que o banco central do país pode também afrouxar a política monetária em sua decisão na sexta-feira.

Por isso, investidores evitavam fazer grandes apostas e o dólar oscilava pouco em relação às principais moedas da América Latina, como os pesos chileno e mexicano.

No mercado local, operadores não descartavam a possibilidade de volatilidade em meio à briga pela Ptax, taxa calculada pelo Banco Central que serve de referência para diversos contratos cambiais. Operadores costumam disputar para deslocar a taxa a patamares favoráveis a suas posições cambiais nos últimos pregões do mês.

O BC novamente vendeu todos os 10 mil swaps reversos, que equivalem a compra futura de dólares, ofertados pela manhã. A autoridade monetária realizou leilões desse tipo em todas as sessões deste mês exceto uma, mas desta vez adicionou um terceiro vencimento à oferta.

A autoridade monetária vendeu contratos a vencer em 1º de setembro de 2016, 3 de outubro de 2016 e 2 de janeiro de 2017. Até a operação da véspera, os leilões envolviam apenas os dois primeiros vencimentos.

(Por Bruno Federowski)