Balanço fraco derruba ações do Bradesco; banco prevê aumento da inadimplência

quinta-feira, 28 de julho de 2016 13:37 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - As ações do Bradesco caíam com força nesta quinta-feira, após a divulgação do balanço do segundo trimestre que analistas consideraram pouco inspirador, pontuado por forte alta da inadimplência e piora no segmento de seguros, e com executivos do banco prevendo uma reversão positiva apenas em 2017.

Às 13:32, a ação preferencial do segundo maior banco privado do país recuava 4,2o por cento. No mesmo instante, o Ibovespa tinha baixa de 1,17 por cento.

Além da queda de 7,6 por cento do lucro líquido do período na comparação anual, o banco também piorou algumas previsões para o ano, com aumento da provisão esperada para perdas com calotes e a expectativa de que a carteira de crédito, na melhor das hipóteses, ficará no mesmo nível do fim de 2015.

Em teleconferência com jornalistas, executivos do banco previram que o cenário de economia em recessão do país tende a continuar elevando seu índice de inadimplência nos próximos trimestres, podendo se estabilizar na virada do ano.

"Há alguns indicadores antecedentes de melhora da confiança na economia, o que pode se refletir na inadimplência na virada do ano", disse o diretor-executivo e diretor de relações com investidores, Luiz Carlos Angelotti, em teleconferência com jornalistas.

O índice de inadimplência acima de 90 dias subiu para 4,6 por cento, ante 4,2 por cento do trimestre anterior, que já tinha sido o pico em quase quatro anos.

Angelotti mencionou o 'caso específico' de uma empresa para o qual o banco fez uma provisão adicional de 365 milhões de reais, após já ter provisionado 836 milhões de reais no trimestre anterior.

Mas analistas consideraram que a piora do índice refletiu também a alta acentuada dos atrasos na linha para pequenas e médias empresas, de 6,6 para 71,8 por cento em apenas um trimestre.   Continuação...