Vale vê demanda firme por minério com estímulos do governo chinês

quinta-feira, 28 de julho de 2016 14:02 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Os preços do minério de ferro deverão ficar acima dos 50 dólares por tonelada na China se a demanda pela commodity permanecer firme ao longo do segundo semestre, após estímulos à economia oferecidos por Pequim, afirmou nesta quinta-feira o diretor-executivo de Ferrosos da mineradora Vale, Peter Poppinga.

O executivo da maior produtora global de minério, matéria-prima do aço, destacou que estímulos ao crédito do governo chinês no gigante asiático para o crescimento de investimentos em infraestrutura "mudaram completamente o jogo em 2016".

"Acho que nunca vi os estoques de aço tão baixos na China, mesmo com a produção recorde de junho e agora de julho, então isso significa que a demanda está muito forte", afirmou Poppinga, durante teleconferência com analistas de mercado sobre os resultados da empresa.

"Os estoques de minério de ferro estão altos nos portos, mas quando olha a cadeia toda na China, você vê que, em dias de consumo, os estoques são perfeitamente normais em termos de minério de ferro, em termos de aço são muito baixos."

Poppinga ponderou que no segundo semestre há uma maior produção de minério por parte dos grandes produtores, já que a sazonalidade contribui, mas que o cenário pode ser favorável.

"Se a demanda continuar como ela está, firme, muito difícil da gente ter algum preço abaixo de 50 (dólares por tonelada)", afirmou o executivo.

O minério de ferro para entrega imediata no porto de Tianjin foi cotado a 59,20 dólares por tonelada nesta quinta-feira, segundo o The Steel Index. No ano, o minério já subiu quase 40 por cento, mas está atualmente abaixo das máximas de 2016 de quase 70 dólares registrados em abril.

ESTRATÉGIA   Continuação...