Confiança do consumidor britânico tem maior queda desde 1990 após Brexit

quinta-feira, 28 de julho de 2016 20:40 BRT
 

LONDRES (Reuters) - A confiança do consumidor britânico sofreu sua maior queda em mais de 26 anos após a decisão do mês passado dos eleitores do país de deixar a União Europeia, com a população cada vez mais pessimista com as perspectivas econômicas.

A empresa de pesquisa de mercado GfK informou que seu indicador da confiança do consumidor caiu para -12 de -1 em junho, na maior queda desde março de 1990 - quando Margaret Thatcher era primeira-ministra e os britânicos tinham que conviver com uma taxa de juros de 15 por cento.

Agora, o Banco da Inglaterra provavelmente cortará a taxa de juros para um novo recorde de baixa a 0,25 por cento na próxima semana, de acordo com economistas que avaliam que a queda na confiança de empresários e consumidores após a votação de 23 de junho deve estimular os formuladores da política monetária a agir.

A pesquisa GfK veio pior do que todas as previsões em uma pesquisa da Reuters, sugerindo que a confiança do consumidor iria subir levemente ante a leitura de -9 registrada em uma pesquisa especial, publicada há três semanas, após a votação pela saída britânica da UE.

O pessimismo em relação às perspectivas para a economia nos próximos 12 meses subiu para o nível mais alto desde abril de 2012, quando a Grã-Bretanha flertava com uma recessão.

"Nós vimos uma queda muito significativa na confiança, como está claro na queda de cada um de nossos indicadores", disse Joe Staton, chefe da dinâmica do mercado de GfK.

(Por Andy Bruce)