Mecanismo para reduzir sobras de energia de distribuidoras atende 2% da demanda

segunda-feira, 1 de agosto de 2016 13:55 BRT
 

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - Um mecanismo criado pelo órgão regulador para reduzir sobras de energia elétrica de distribuidoras, que sofrem com a queda da demanda dos clientes em meio à crise, resultou na renegociação de apenas 130 megawatts em contratos, ante 5,66 gigawatts em excedentes declarados pelas concessionárias, aponta documento visto pela Reuters nesta segunda-feira.

O resultado deve forçar a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e o governo a buscarem novos meios para mitigar a sobrecontratação das distribuidoras, que pode resultar em perdas financeiras para as empresas e aumento de custos para os consumidores.

O problema é resultado da política do setor elétrico, que exige que as distribuidoras comprem energia com anos de antecedência para evitar falta de oferta, o que resultou em excesso de contratação após a brusca queda da demanda com a crise econômica e a alta das tarifas no ano passado.

O objetivo da Aneel era resolver ao menos parcialmente a questão com um mecanismo chamado "MCSD de Energia Nova", que permitiu que distribuidoras e geradores negociassem reduções nos contratos de energia para o segundo semestre deste ano. Os resultados foram divulgados na sexta-feira à noite, mas surpreenderam negativamente o mercado.

A Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee), que representa as elétricas, disse que havia uma expectativa de que ao menos cerca de 980 megawatts médios em contratos pudessem ser renegociados, ante os 130 megawatts médios obtidos.

"O resultado foi muito fraco...(a sobrecontratação) ainda é preocupante... Esperávamos que o MCSD fosse trazer algum benefício, mas infelizmente o resultado não foi o que a gente esperava", disse à Reuters o presidente da Abradee, Nelson Leite.

Em nota sobre o resultado do mecanismo de reduções contratuais, a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) disse que "permanece em contato com os agentes e instituições do setor para diminuir a sobrecontratação das distribuidoras".

De acordo com Leite, as distribuidoras conversam com CCEE e Aneel para que seja realizada uma segunda rodada do MCSD de Energia Nova, que poderia dar espaço para mais acordos entre as empresas e geradores.   Continuação...