Lucro da mineradora Rio Tinto cai para menor nível em 12 anos

quarta-feira, 3 de agosto de 2016 10:42 BRT
 

MELBOURNE (Reuters) - A mineradora global Rio Tinto teve uma queda de 47 por cento no lucro no primeiro semestre, no pior resultado para o período em 12 anos, mas surpreendeu o mercado com dividendos acima do esperado, além de ter sinalizado que as condições continuam difíceis.

O novo presidente-executivo Jean-Sébastien Jacques disse que está focado em estabilizar a companhia com mais cortes de custos e afirmou não esperar ajuda dos mercados de commodities, que foram ajudados no segundo trimestre por uma injeção de crédito na China.

"Portanto nós estamos confiantes, mas absolutamente não estamos complacentes. Ao olhar para o futuro, esperamos que as condições de mercado permaneçam desafiadores e voláteis", disse ele a repórteres.

O lucro ajustado para os seis primeiros meses do ano caiu para 1,56 bilhão de dólares, ante 2,92 bilhões um ano antes, superando previsões de cerca de 1,46 bilhão de dólares, segundo um consenso compilado externamente.

Ganhos no negócio de alumínio foram melhores que os esperados, enquanto as unidades de minério de ferro e de cobre ficaram abaixo das expectativas, disseram analistas.

"É um resultado decente em tempos difíceis", disse o analista Paul Gait, do Bernstein, em Londres.

Em um setor de mineração combalido, a segunda maior produtora global de minério de ferro está bem posicionada, já que reduziu a dívida mais rapidamente que suas rivais, tanto que a companhia está ampliando a escavação de minas de minério de ferro, cobre e bauxita enquanto concorrentes cortam investimentos.

Enquanto alguns analistas dizem que a Rio Tinto deveria usar seus recursos financeiros para comprar ativos ao invés de construir novas minas, Jacques afirmou que nenhum dos ativos que a Rio Tinto deseja está à venda e que os preços que outras empresas pagaram por fatias em minas de cobre no último ano são altos demais.

Graças a seu forte balanço, a Rio Tinto foi capaz de anunciar dividendos de meio de ano de 45 centavos de dólar por ação, em um forte contraste com as rivais Anglo American e Vale, que declararam na semana passada que não irão pagar dividendos referentes ao primeiro semestre.

(Por Sonali Paul)