Brasil buscará abrir cota sem taxa para trigo de fora do Mercosul

quinta-feira, 4 de agosto de 2016 18:50 BRT
 

BUENOS AIRES (Reuters) - O Brasil vai buscar abrir uma cota anual de importação de 750 mil toneladas de trigo livre de tarifas para os grãos de fora da Argentina, disse nesta sexta-feira o ministro da Agricultura brasileiro, Blairo Maggi.

A medida pode ser complicada para os exportadores de trigo da Argentina e outros países do Mercosul, como Uruguai e Paraguai, que vendem ao Brasil com isenção de tarifas, seguindo acordo do bloco econômico.

Somente a Argentina exportou no ano passado 3,26 milhões de toneladas do cereal para o Brasil.

O Brasil é um dos principais exportadores de alimentos do mundo, mas a sua produção de trigo é insuficiente, e, por isso, tem que importar cerca de metade de seu consumo de pouco mais de 10 milhões de toneladas.

Uma parte menor das importações brasileiras normalmente é de trigo dos Estados Unidos e Canadá, com uma tarifa de 10 por cento.

"O Brasil tem que recuperar um compromisso selado anos atrás no mercado internacional de abrir 750 mil toneladas de trigo para outros fornecedores que não sejam a Argentina", disse Maggi a jornalistas depois de uma reunião com seu colega argentino.

"Como o governo deseja e como é necessário para a economia brasileira, nós vamos ampliar o mercado de trigo", declarou.

No entanto, ele que acrescentou que "a Argentina sempre terá nossa preferência. Vamos seguir sendo o principal importador de trigo."

(Por Maximilian Heath)