BB Seguridade tem queda no lucro líquido do 2º trimestre, corta projeção para 2016

segunda-feira, 8 de agosto de 2016 09:38 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A BB Seguridade teve lucro líquido de 1,09 bilhão de reais no segundo trimestre, queda de 10,6 por cento na mesma base de comparação com 2015. A empresa reduziu a projeção de crescimento do lucro líquido ajustado para este ano para entre 4 e 8 por cento ante faixa de 8 a 12 por cento anteriormente.

A BB Seguridade citou mudanças na tributação, volume de prêmios emitidos do seguro prestamista abaixo do esperado e piora nos índices de sinistralidade nos segmentos de automóvel e de danos para justificar a revisão na projeção.

Em termos ajustados, o lucro líquido do segundo trimestre cresceu 9,3 por cento na comparação anual. No semestre, o lucro ajustado avançou 5,2 por cento sobre um ano antes, abaixo da projeção anterior revisada pela companhia.

No segundo trimestre, a empresa que reúne participações do Banco do Brasil em seguros e previdência atribuiu a melhora do lucro ajustado à expansão do resultado operacional não decorrente de juros combinado, com alta de 12 por cento, e do resultado financeiro combinado, com aumento de 3,1 por cento.

Os prêmios emitidos no segmento Vida, Habitacional e Rural ficaram 12,3 por cento acima do volume do segundo trimestre de 2015 e subiram 40 por cento sobre os três primeiros meses deste ano, com avanço nos prêmios de rural e de vida. Assim, a área teve lucro líquido de 419,4 milhões de reais, alta anual de 9,9 por cento.

No segmento Patrimônio e Automóvel, os prêmios emitidos somaram 2,3 bilhões de reais, queda de 1,8 por cento, com a retração no segmento de automóveis, mas alta trimestral de 5 por cento. O lucro líquido, contudo, cresceu 25,6 por cento ante o mesmo trimestre um ano antes, a 125,8 milhões de reais.

Em Previdência, houve alta de 15,4 por cento do lucro, a 241,9 milhões de reais.

O retorno anualizado sobre o patrimônio líquido médio ajustado da BB Seguridade ficou em 55,2 por cento de abril a junho, queda de 0,7 ponto percentual sobre o segundo trimestre do ano anterior, mas acima dos 49,9 por cento registrados nos três primeiros meses de 2016.