Invepar acerta venda de ativos no Peru à Vinci Highways por R$4,55 bi

segunda-feira, 8 de agosto de 2016 09:54 BRT
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO (Reuters) - A empresa de infraestrutura Invepar assinou contratos para a venda de ativos no Peru à Vinci Highways por um valor bruto global estimado em 4,55 bilhões de reais, com o objetivo de ampliar sua capacidade de investimento no Brasil.

Os contratos envolvem a venda da totalidade das ações da Línea Amarilla (Lamsac), concessão na região metropolitana de Lima, por 3,7 bilhões de soles, e a totalidade das participações direta e indireta na PEX Peru, que administra serviço de pagamento eletrônico de pedágio, por 37,3 milhões de soles.

A Lamsac era a primeira concessão internacional do grupo de infraestrutura brasileiro. Com isso, a Invepar volta a atuar exclusivamente no Brasil.

O negócio "tem como objetivo ampliar a capacidade de investimento da Invepar em infraestrutura no Brasil. Dessa forma, os recursos obtidos serão destinados à liquidação de compromissos financeiros da companhia e investimentos em suas controladas", disse a empresa em comunicado.

A operação deve ser concluída em até 90 dias, necessitando ainda de aprovação regulatória e dos financiadores da Lamsac.

A Vinci Highways é um braço do grupo de concessões e construção Vinci Group voltado para operações fora da França que administra cerca de 20 concessões rodoviárias.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) da Lamsac e da PEX Peru correspondeu a 13 por cento do Ebitda da Invepar em 2015. A companhia previa que esse percentual chegaria a 18,9 por cento em 2020.

O negócio ocorre após a OAS, grupo de engenharia envolvido na operação Lava Jato, informar em abril que seus credores assumiriam a participação da empresa na Invepar, de 24,48 por cento. Outros sócios da Invepar - Petros, Previ e Funcef - optaram por não exercer direito de preferência pelas ações.