Dólar em direção a R$3,10 com exterior e impeachment; preocupação fiscal limita perdas

quarta-feira, 10 de agosto de 2016 11:27 BRT
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar recuava a novas mínimas em mais de um ano, em direção a 3,10 reais nesta quarta-feira, acompanhando o tombo da moeda norte-americana nos mercados externos e após o Senado dar o aval à etapa final do processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff.

O movimento era contido, porém, por preocupações com as perspectivas para as contas públicas brasileiras após o governo abrir mão ainda mais das exigências no projeto de renegociação da dívida dos Estados com a União para facilitar sua aprovação.

Às 11:26, o dólar recuava 0,25 por cento, a 3,1334 reais na venda. A moeda norte-americana chegou a 3,1132 reais na mínima da sessão, o menor nível intradia desde 14 de julho de 2015 (3,1114 reais). O dólar futuro caía cerca de 0,60 por cento nesta manhã.

"O dólar não para de cair em todo o mundo e o Brasil não é exceção", resumiu o superintendente de câmbio da corretora Intercam, Jaime Ferreira.

A demanda por ativos de alto risco nos mercados globais tem permanecido forte desde sexta-feira passada, quando dados mais fortes que o esperado sobre o mercado de trabalho dos Estados Unidos alimentaram otimismo sobre a recuperação econômica global.

Desde então, outros indicadores econômicos em países como EUA e China vêm sustentando o bom humor e a percepção de que, mesmo com o ritmo atual de recuperação econômica, os juros norte-americanos não devem subir tão cedo.

Contribuía para o tom positivo no Brasil a aprovação do parecer pela continuidade do processo de impeachment de Dilma, afastada da Presidência desde maio.

A perspectiva de que o impeachment seja confirmado em julgamento no fim deste mês tem animado investidores, que vêm recebendo bem as promessas de contenção de gastos do presidente interino Michel Temer.   Continuação...