Bovespa sobe 2,4% e fecha na máxima em quase 2 anos com petróleo e resultados corporativos

quinta-feira, 11 de agosto de 2016 18:06 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa fechou em alta de mais de 2 por cento nesta quinta-feira, na máxima desde setembro de 2014, apoiado no cenário externo benigno, particularmente a alta do petróleo, e com a temporada de resultados de companhias brasileiras centralizando as atenções.

Banco do Brasil e Rumo Logística estiveram entre as empresas que divulgaram e comentaram os números do segundo trimestre, enquanto o mercado aguarda os números ainda nesta quinta-feira da Petrobras, MRV Engenharia e Lojas Americanas, entre outros.

O Ibovespa subiu 2,42 por cento, a 58.299 pontos, maior patamar de fechamento desde 18 de setembro de 2014. O volume financeiro do pregão somou 7,89 bilhões de reais.

Nos Estados Unidos, os principais índices acionários fecharam em suas máximas históricas, com balanços sólidos de lojas de departamentos e a forte alta dos preços do petróleo alimentando a confiança de investidores sobre o crescimento econômico.

DESTAQUES

- BANCO DO BRASIL subiu 5,65 por cento, para a máxima desde abril, mesmo após resultado trimestral considerado fraco. O banco estatal afirmou que vai atingir o nível de 9,5 por cento de capital principal no começo de 2019, além de ter elevado a previsão de crescimento da margem financeira e calculado menor nível de provisões no segundo semestre. No setor, BRADESCO avançou 2,97 por cento e ITAÚ UNIBANCO subiu 2,56 por cento cada - renovando máxima histórica de fechamento, a 35,67 reais.   Continuação...