Economia brasileira cai 0,53% no 2º tri, mas ritmo de queda perda força, aponta BC

sexta-feira, 12 de agosto de 2016 10:25 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A atividade econômica do Brasil fechou o segundo trimestre deste ano com queda de 0,53 por cento, ainda mostrando que o país estava em recessão, mas com o ritmo da contração perdendo força, mostrou o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) divulgado nesta sexta-feira.

O indicador, espécie de sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), avançou 0,23 por cento em junho sobre maio, segundo dados dessazonalizados, ante expectativa de expansão de 0,2 por cento em pesquisa Reuters.

O crescimento veio após queda de 0,44 por cento do IBC-Br em maio sobre abril, número revisado pelo BC sobre a queda de 0,51 por cento divulgada antes.

O país vive momento de fraqueza da economia em meio ao cenário marcado por forte deterioração no mercado de trabalho, com juros e inflação em patamares elevados.

O ritmo de contração trimestral diminuiu após a queda de 1,45 por cento no 1º trimestre em relação aos três últimos meses do ano passado.

No primeiro trimestre, o recuo do PIB foi de 0,3 por cento sobre o quarto trimestre de 2015, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado veio melhor que o esperado, mas ainda marcando o quinto trimestre consecutivo no vermelho.

Em 12 meses até junho, o IBC-Br acumula queda de 5,67 por cento, segundo o BC, sempre em números dessazonalizados.

Para o ano, a expectativa mais recente de economistas ouvidos pela pesquisa Focus é de declínio de 3,23 por cento no PIB, número que vem melhorando nas últimas semanas.

O IBC-Br incorpora projeções para a produção no setor de serviços, indústria e agropecuária, bem como o impacto dos impostos sobre os produtos.   Continuação...

 
Sede do Banco Central do Brasil, em Brasília. 09/12/2015 REUTERS/Ueslei Marcelino