China fecha na máxima de 7 meses e eleva outras bolsas, apesar PIB japonês fraco

segunda-feira, 15 de agosto de 2016 08:10 BRT
 

XANGAI/SYDNEY (Reuters) - O mercado acionário chinês fechou nas máximas em mais de sete meses nesta segunda-feira, liderado por ações dos setores financeiro e imobiliário, conforme os investidores apostam que dados econômicos decepcionantes de julho vão estimular Pequim a liberar novos estímulos.

A alta do índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, foi de 3 por cento, enquanto o índice de Xangai subiu 2,45 por cento. Os dois índices atingiram máximas desde o início de janeiro.

O índice MSCI, que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão, recuperava perdas vistas mais cedo e subia 0,26 por cento nesta segunda-feira, às 7:45.

O índice atingiu a máxima de um ano, com as altas no mercado chinês ajudando a compensar as notícias de que o crescimento econômico do Japão foi praticamente interrompido no último trimestre, enquanto os preços do petróleo subiam.

A necessidade por novas ações no Japão foi destacada pela leitura fraca do crescimento econômico no segundo trimestre, levando o índice Nikkei a uma queda de 0,3 por cento.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,30 por cento, a 16.869 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,73 por cento, a 22.932 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 2,45 por cento, a 3.125 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 3,01 por cento, a 3.393 pontos.   Continuação...