União Europeia ampliará defesa comercial contra importações de aço

segunda-feira, 15 de agosto de 2016 10:59 BRT
 

LONDRES (Reuters) - A Comissão Europeia deve reforçar suas defesas comerciais contra importações de aço possivelmente a partir de outubro, afirmaram líderes da indústria.

O órgão executivo da União Europeia elevou defesas comerciais ao longo do ano passado, impondo tarifas antidumping sobre produtos como barras reforçadas, laminados a frio e aço inoxidável. As tarifas variaram entre 18,4 e 25,3 por cento para os produtos importados da China.

Apesar disso, as importações de aço carbono no ano até maio subiram 21 por cento, com China passando a representar 27 por cento do total das importações. Enquanto isso, as importações de aço inoxidável subiram 17 por cento, segundo dados da UE.

"A Comissão Europeia sabe que tem de agir porque muitos outros agentes estão se cercando de barreiras", disse o presidente-executivo da siderúrgica Voestalpine, Wolfgang Eder, em teleconferência com jornalistas.

Eder, também presidente da Associação Mundial do Aço, espera ver medidas mais "eficientes e efetivas" nos próximos meses e afirmou que tarifas na região de 20 a 30 por cento podem ajudar a indústria.

Um porta-voz da Comissão Europeia se recusou a comentar o assunto.

A China, que produz metade das 1,6 bilhão de toneladas de aço produzidas no mundo, tem enfrentado dificuldades para reduzir um excesso de capacidade estimado em 300 milhões de toneladas. O aumento nos preços da liga tem encorajado as usinas chinesas a acelerar produção para exportação.

Mas o governo de Pequim negam que as siderúrgicas chinesas estejam despejando aço nos mercados internacionais ou vendendo abaixo do valor justo. O governo chinês afirma que o excesso de capacidade deve-se ao colapso da demanda causado pelos efeitos da crise financeira internacional de 2008.

Porém, países da Ásia às Américas discordam. Os Estados Unidos, que atravessam por período de eleição presidencial este ano, definiram tarifas de até 450 por cento sobre alguns produtos siderúrgicos chineses.

"Uma guerra comercial está acontecendo agora contra a China", disse uma autoridade da UE com conhecimento dos planos do bloco para o setor siderúrgico.

(Por Maytaal Angel)