Exportações do Japão têm maior queda desde crise financeira; autoridades discutem câmbio

quinta-feira, 18 de agosto de 2016 07:49 BRT
 

TÓQUIO (Reuters) - As exportações do Japão caíram em julho no ritmo mais rápido desde a crise financeira global, com a valorização do iene se somando ao desafio de mercados externos fracos, deixando a economia e o governo mais dependentes da instável demanda doméstica para direcionar o crescimento.

O iene caminhava para máxima em sete semanas frente ao dólar, levando membros do Ministério das Finanças, do banco central e dos reguladores financeiros a realizar uma reunião de emergência para avaliar a atual situação do mercado.

O czar do câmbio do Japão reiterou uma ameaça velada de intervir, em resposta a movimentos especulativos, mas operadores dizem que poucas opções estão disponíveis porque isso poderia ser considerado desvalorização competitiva, algo que o G7 desaprova.

As exportações do Japão caíram por 10 meses consecutivos, o maior período de baixa desde as perdas disparadas pela crise financeira global.

Em julho, as exportações caíram 14,0 por cento na comparação anual, em linha com a mediana em pesquisa Reuters com economistas e a maior desde outubro de 2009.

As exportações no mês passado caíram devido a menos envios de carros aos Estados Unidos, de navios para a América Central e de aço para a Itália, mostraram os dados.

O iene já subiu cerca de 20 por cento ante o dólar este ano e mais valorização poderia prejudicar os ganhos de exportadores e aumentar a pressão deflacionária ao reduzir os preços de importados.

(Por Stanley White)