Seca deve manter preço spot da energia alto e reduzir perdas de distribuidoras

quinta-feira, 18 de agosto de 2016 17:14 BRT
 

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - A profunda seca vista no Nordeste neste ano deve manter elevados os preços spot da eletricidade, o que contribuirá para reduzir perdas financeiras de distribuidoras de energia, que devido à retração da demanda têm vendido sobras no mercado de curto prazo por valores abaixo do custo.

Uma queda menor que a prevista inicialmente no consumo já havia levado comercializadores de energia a prever um salto em setembro nos preços spot, ou Preços de Liquidação das Diferenças (PLDs), e a situação hídrica preocupante do Nordeste deve ajudar a manter essa elevação, ao reduzir a oferta de energia de hidrelétricas da região.

A situação beneficiará as distribuidoras porque elas só podem negociar os excedentes contratuais no mercado spot, mesmo que a operação gere prejuízo.

Os contratos de compra de energia das distribuidoras têm um custo médio na casa dos 185 reais por megawatt-hora, ante um PLD atual de cerca de 117 reais. Entre abril e maio, a diferença chegou a ser ainda maior, com o PLD médio entre 30 e 50 reais por megawatt-hora.

Mas em setembro as projeções das comercializadoras de energia Comerc e Iguaçu Energia apontam para um PLD acima dos 200 reais por megawatt-hora.

"Isso é extremamente saudável para o caixa das distribuidoras", afirmou o presidente da Comerc, Cristopher Vlavianos, à Reuters. "Mesmo com a sobra, se o PLD ficar perto de 200 reais, elas (distribuidoras) ficam sem prejuízo."

PREÇO SEGUE ALTO   Continuação...