Economia alemã vai crescer apesar de aumento dos riscos com o Brexit

sexta-feira, 19 de agosto de 2016 09:02 BRT
 

BERLIM (Reuters) - A economia alemã permanece em um caminho sólido de crescimento, apesar da recente desaceleração no segundo trimestre, mas os riscos externos aumentaram após a decisão britânica de deixar a União Europeia (UE), informou o Ministério das Finanças nesta sexta-feira.

O crescimento na maior economia da Europa desacelerou menos que o esperado nos três meses até junho com aumento das exportações, forte consumo privado e crescimento nos gastos públicos compensando o investimento mais fraco em construção e maquinário.

A taxa de crescimento de 0,4 por cento foi o dobro do esperado em pesquisa Reuters e a desaceleração era amplamente esperada depois que o inverno mais ameno ajudou a economia alemã a crescer 0,7 por cento nos primeiros três meses do ano, a taxa trimestral mais forte em dois anos.

Em seu relatório mensal, o Ministério das Finanças disse que a economia continuará a crescer devido à forte demanda doméstica que é impulsionada por máxima recorde de emprego, aumento real de salários, baixa inflação e preços relativamente baixos de energia.

"O bom estado da economia alemã indica continuação do bom momento econômico nos próximos meses, embora os riscos externos tenham aumentado com o referendo sobre o Brexit", disse o documento.

A forte atividade econômica doméstica está elevando a arrecadação, com as receitas do governo federal e dos Estados subindo 4,6 por cento no ano nos primeiros sete meses de 2016, informou o ministério. O número é maior do que a alta esperada de 3,0 por cento para o ano inteiro.

(Por Michael Nienaber)

 
Bandeira nacional alemã vista ao lado de bandeira britânica e da União Europeia em Berlim.      20/07/2016          REUTERS/Hannibal Hanschke